Por que nós brasileiros pagamos mais que vizinhos por smartphone?

O consumidor brasileiro é o que paga mais caro para ter um smartphone entre quatro países da América Latina.

Pesquisa da Marco Consultora, especializada em análise do mercado, mostra que um smartphone aqui custa em média US$ 852, o dobro do preço mais barato, encontrado no Chile, e bem acima dos US$ 507 cobrados dos argentinos e dos US$ 446 pagos pelos mexicanos.

Levando-se em conta o salário médio pago em cada país, o brasileiro precisa de 1,08 salário médio para comprar um smartphone. Nesse quesito, só a Argentina apresenta um índice mais alto: 1,11. O Chile é o país onde o aparelho é mais acessível: basta 0,59 salário médio para comprar um.

Os preços são mais elevados no Brasil por conta de carga tributária, menor competitividade e até por uma questão cultural, já que os celulares inteligentes são considerados símbolo de status no país, segundo a consultoria.

Líder em vendas
Mas o preço parece não incomodar os consumidores brasileiros. Segundo o estudo, o Brasil é o que mais vende o aparelho. No país, os smartphones são 35% dos telefones à venda.

E só para terminar… “No Brasil, tudo é de sacanagem.”

enviado pelo manolo @CharlesChronus
Fonte: Destak

Brasil: Pior serviço de banda larga.


A qualidade da internet de banda larga no Brasil está abaixo do necessário para as exigências atuais dos internautas. A conclusão é do estudo anual feito pelas universidades de Oxford (Inglaterra) e de Oviedo (Espanha) em parceria com a Cisco.

O relatório, que analisou a qualidade do acesso à web em 239 cidades, de 72 países, colocou o país no 38º lugar, três posições acima de 2009.

A média geral de velocidade no Brasil para downloads (quando se baixam arquivos ou se acessa um site) ficou em 2,3 Mbps (megabits por segundo), e uploads (quando se envia algo, como e-mail), em 449 Kbps (kilobits por segundo). Segundo o estudo, para que o usuário navegue e realize suas tarefas, precisa de 3,75 Mbps para downloads e 1 Mbps para uploads.

A melhor conexão de banda larga se encontra na Coreia do Sul, com médias de downloads em 33,5 Mbps.

Rio e São Paulo: as piores

No Brasil, foram avaliadas as conexões de seis capitais, e apenas Fortaleza e Brasília fornecem as velocidades médias necessárias para o bom uso das tecnologias on-line.

A capital cearense, que tem a melhor internet rápida do país, tem 4,35 Mbps de velocidade para downloads, e Brasília, 4,17 Mbps.

O Rio tem o pior serviço, com velocidade de 1,99 Mbps para downloads. A internet rápida da capital paulista é a 2ª pior, com 2,15 Mbps para baixar arquivos.

Matéria enviada pelo @charleschronus